10 Tendências Culinárias de 2017

A mesa está ainda mais variada. De olho na melhor nutrição, os consumidores buscam, além de ingredientes de outras partes do mundo, novos modos de cozinhar. Para elaborar a lista das dez tendências culinárias, a consultoria Sterling-Rice Group identificou padrões entre economia, esfera digital e mundo real. Veja agora as preferências alimentares que vão “bombar” nos próximos meses.

Chocolate no café da manhã

Além do que já se sabia, novos estudos apontam ainda mais benefícios do chocolate chamado “amargo”. E quanto mais cedo, melhor. Isso porque o ingrediente melhora a função cognitiva, o pensamento abstrato, a memória e o foco. Tudo de que precisamos pra começar bem o dia.

Chocolate no Café da Manhã

Refeições Dosha

De acordo com a sabedoria indiana ayurveda, somos compostos por três “doshas” (Vata, Pitta e Kapha), que devem ficar em equilíbrio. Pratos elaborados com cúrcuma, gengibre, cominho, pimenta-de-caiena e óleo de coco pacificam cada “dosha” e nos aproximam do nível ideal.

Refeições Dosha

Sardinhas como petiscos

Elas sempre foram consideradas inferiores. Agora as sardinhas estão valorizadas como fonte de proteína, ômega-3, sabor unami e tudo o que está atualmente em alta. O produto aparece renovado. Noas mrcas têm produzido variedades enlatadas com diferentes notas defumadas, e os restaurantes oferecem opções preparadas com o peixe fresco.

Petiscos de Sardinha

Refeições migratórias

Populações de refugiados estão dermarcando novos territórios culinários nos países que os acolhem. Isso inspira fusões e sabores únicos. Comidas afegã, síria e persa, por exemplo, colocam romãs, sumac (pó extraído de um arbusto que cresce nas montanhas do Líbano) e feno grego, entre outros ingredientes de sabor delicado, no nosso radar gastronômico.

Culinária Persa

Carne de cabra

A tendência não vem do Nordeste brasileiro. É nos Estados Unidos que a carne desse ovino tem atraído tanto interesse quanto o leite que produz. Trata-se de uma carne magra, com menos gordura que frango. É rica em proteína e já consumida por 63% da população mundial. Os ossos do animal rendem um ótimo brodo, caldo pleo em colágeno que forma filas onde é vendido. Empanadas, lasanha e outros preparos difundem ainda mais seu forte sabor.

Carne de Cabra

Drinques sem álcool

Saem os refrigerantes, mesmo zero caloria, e entram os chamados “mocktails”. A tendência usa os conhecimentos da mixologia para fazer dos sucos algo mais interessante. Assim, entram em cena água gasosa, chás diversos, infusões de ervas e especiarias e até vinagres para diversificar o sabor das bebidas sem álcool.

Drinks sem álcool

Cozinha Conectada

Se o termo fez você pensar em tecnologia, esqueça. A conexão aqui diz respeito a pessoas conectadas via aplicativo. Como a comida sempre aproximou os seres humanos, a proposta aponta para uma experiência mais rica e pessoal do que ir a um restaurante. Um dos pioneiros é o EatWith, que, como um Tinder, garante o “match” entre quem quer comer e quem quer cozinhar.

EatWith

Noodles

Para nós fica a imagem do aglomerado seco que vira refeição rápida. Mas o noodle, tradição chinesa, promete ganhar novos palcos. A consultoria acredita que o apelo de seu preparo artesanal, que envolve vigoroso estica-e-puxa, pode proporcionar um “show” como, a seu modo, fazem os sushimen Nova York e Los Angeles já te casas nesta tendência.

Noodles

Burgers veganos

A proteína de origem vegetal tem conquistado cada vez mais adeptos, mesmo entre os onívoros que buscam simplesmente diversificar a nutrição e variar o paladar. A consultoria aponta o surgimento de “açougues” veganos, com burges e carnes de ervilha, milho ou cogumelos, como indício de que não vamos parar de comer carne, mas o faremos cada vez menos.

Vegan Burger

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *