Gucci vai deixar de usar peles

Uma das grifes italianas mais famosas do mundo, a Gucci, fundada por Guccio Gucci em Florença em 1921, não irá usar mais peles de animais em suas coleções a partir do próximo ano (2018).

Gucci veta uso de peles nas suas coleções a partir de 2018

O CEO da Gucci, Marco Bizzari anunciou que a partir de 2018, a grife italiana não poderá mais usar peles de animais em suas coleções e irá procurar alternativas ao couro. Coelhos, coiotes, vison, guaxinim, raposas, entre outras espécies de animais, deixarão de ser usados nas coleções da Gucci.

A Gucci só é uma das grifes que está aderindo essa campanha. Ela se unirá a uma aliança de empresas que não usam peles, como a Armani, Stella McCartney, Calvin Klein, Ralph Lauren, Tommy Hilfiger e Hugo Boss já fazem parte deste time há algum tempo, e são fur free. Em junho, o maior e mais importante e-commerce de moda do mundo, Net-A-Porter, adotou uma política de não vender mais roupas ou acessórios de proveniência animal. Depois de serem pressionadas pelos ativistas dos direitos dos animais.

Gucci veta uso de pele de animaisA medida entrará em vigor, começando com a coleção de primavera/verão do próximo ano. Com essa atitude, a grife quer fazer o melhor pelo meio ambiente e animais, sendo socialmente responsável. Sem dúvidas, essa nova meta da Gucci irá inspirar muitas outras grifes para procurar alternativas as peles do animais. Dando um novo rumo em termos de inovação e conscientização no cenário das indústrias de grifes de luxo.

As peças com peles de animais de coleções passadas da maison italiana, irão ser leiloadas e o dinheiro arrecado será doado para instituições de defesa dos direitos dos animais.

A empresa deixará de lucrar U$ 11.8 milhões por ano para acabar com a exploração e morte de animais para o uso de pele. Usar peles de animais, tem se tornado e tornar-se-ão cada vez mais uma coisa do passado, mudando o panorama da moda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *